Um dia depois da Anvisa anunciar a suspensão dos testes com a CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, deu 48 horas para que a agência dê informações sobre os estudos envolvendo o potencial imunizante contra o novo coronavírus. “Determino à Anvisa, com fundamento no art. 6°, § 1°, da Lei 9.882/1999, que, no prazo de 48 (quarenta oito) horas, observado o âmbito de sua autonomia técnica, preste informações complementares àquelas já ofertadas pela Presidência da República e pela Advocacia-Geral da União, acerca dos critérios utilizados para proceder aos estudos e experimentos concernentes à vacina acima referida, bem como sobre o estágio de aprovação desta e demais vacinas contra a Covid-19”, diz a decisão, obtida pela Jovem Pan.

Mais informações em instantes.