A receita da holding que controla o Itaú Unibanco e as empresas Duratex e Alpargatas cresceu 36%, para R$ 1,77 bilhão, no período. Itaúsa controla o Itaú Unibanco e as empresas Duratex e Alpargatas
Divulgação
A Itaúsa, holding que controla o Itaú Unibanco e as empresas Duratex e Alpargatas, registrou, no terceiro trimestre um lucro líquido atribuível aos acionistas de R$ 1,78 bilhão, uma queda de 8% ante o registrado no mesmo período de 2019. A receita cresceu 36%, para R$ 1,77 bilhão.
Em comentário sobre os resultados, a administração da Itaúsa destacou a melhora no desempenho operacional da maioria de suas empresas investidas, como Duratex e Alpargatas, “que apresentaram excelente desempenho no volume de vendas, melhores margens e melhores resultados”.
No setor financeiro, por outro lado, a companhia disse que a recuperação foi mais lenta, com as margens comprimidas pelo atual patamar da taxa básica de juros, além dos impactos das renegociações feitas desde o início da pandemia.
O resultado de equivalência patrimonial da Itaúsa, caiu de R$ 1,93 bilhão para R$ 1,71 bilhão. Segundo a administração da holding, alguns fatores não recorrentes influenciaram negativamente o resultado em R$ 191 milhões.
Entre eles está uma despesa com marcação a mercado de títulos em garantia no Itaú Unibanco, despesas com provisões para reestruturação e baixa de ativos decorrentes da venda de operações da Mizuno e despesas financeiras relacionadas ao pagamento antecipado de captação extraordinária realizada no início da pandemia para reforço de liquidez na Alpargatas.