Nesta segunda-feira, 9, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou através da sua conta oficial no Twitter que o então secretário de Defesa, Mark Esper, foi demitido. Segundo a publicação, ele será substituído interinamente por Christopher Miller, que atua como diretor do Centro Nacional de Contraterrorismo. Em junho, Esper se posicionou contra a invocação de uma lei que permitiria que Trump colocasse as tropas norte-americanas para combater a onda de protestos que se espalhou pelo país após a morte de George Floyd. Os manifestantes reivindicavam o fim da brutalidade policial contra negros, em apoio ao movimento Black Lives Matter.

Na ocasião, o secretário de Defesa disse que a lei deveria ser utilizada como “último recurso”. Em resposta, a secretária de imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnany, disse que o presidente Donald Trump tinha “autoridade única” para levar a medida adiante ou não. A emissora de televisão norte-americana NBC News afirma que Esper já tinha escrito a sua carta de demissão, preparando-se para uma inevitável saída do governo. Em setembro, Trump também acusou a liderança do Pentágono de tentar travar guerras visando o lucro de empresas de defesa, o que enfureceu Esper.