O atual presidente Donald Trump voltou a usar as redes sociais para falar que “votos ilegais” estão influenciando o resultado das eleições presidenciais nos Estados Unidos. O candidato que busca a reeleição não apresentou provas, mas declarou o seguinte: “Dezenas de milhares de votos foram recebidos ilegalmente depois das 20h. Na terça-feira, dia da eleição, mudando totalmente e facilmente os resultados na Pensilvânia e em alguns outros estados frágeis. Por outro lado, centenas de milhares de votos foram ilegalmente proibidos de serem OBSERVADOS”.

Trump acrescentou: “Isso TAMBÉM mudaria o resultado da eleição em vários estados, incluindo a Pensilvânia, que todos pensaram que foi facilmente vencida na noite da eleição, apenas para ver uma enorme vantagem desaparecer, sem que ninguém fosse autorizado a OBSERVAR, por longos intervalos de tempo, o que aconteceu”. Para o republicano, não houve transparência na hora da contagem dos votos.

“Coisas ruins aconteceram durante aquelas horas em que a TRANSPARÊNCIA LEGAL era cruel e grosseiramente proibida. As portas e janelas bloqueadas por tratores eram cobertas com papelão grosso para que os observadores não pudessem ver as salas de contagem. MÁS COISAS ACONTECERAM DENTRO. GRANDES MUDANÇAS OCORRERAM!”, enfatizou no Twitter. Após essas declarações, Trump celebrou a decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos de separar as cédulas recebidas pelo correio após as 20h no dia da eleição na Pensilvânia.

“Primeira vitória pela integridade eleitoral”, escreveu Jim Jordan, Membro da Câmara dos Representantes dos EUA, no Twitter. Trump compartilhou a publicação e acrescentou: “As pessoas gritavam: PARE A CONTAGEM E EXIGIMOS TRANSPARÊNCIA (visto que os Observadores Legais não puderam entrar nas salas de contagem)!”. A separação das cédulas não significa que elas serão invalidadas, elas apenas serão separadas para caso o Tribunal eventualmente decida anular esses votos.