O ministro da Infraestrutura garante responsabilidade fiscal nos investimentos do governo. Tarcísio de Freitas avalia a aprovação pelo Congresso Nacional do projeto que direciona R$ 6 bilhões para as obras de desenvolvimento regional. “Mas isso se dá a partir do remanejamento de crédito que estavam empossados em outros ministérios. Então essa questão do respeito aos pilares fiscais é muito cara para nós. A gente tem isso como fundamental para manutenção da política monetária, para os patamares de juros que nos encontramos nesse momento e que não fundamentais para que a gente tenha êxito nesse programa de concessões.”

Após polêmica em torno do desejo de mais investimentos públicos do núcleo desenvolvimentista do governo, mas diante de uma realidade fiscal improvável, o ministro da Infraestrutura garante que o setor privado comandará o processo. “Estamos mandando hoje para o Tribunal de Contas da União o edital da Nova Dutra, deve ser um grande leilão que deve mexer com o mercado no início do ano que vem. É impressionante já o interesse que a Nova Dutra tem despertado e não é por acaso. Tenho certeza que será uma concorrência bastante animada, tem uma quantidade muito grande de investimento e de inovação nesse contrato”, afirma. Tarcísio de Freitas participou do Macro Vision 2020, promovido pelo banco Itaú, destinado a investidores. Ele voltou a demonstrar otimismo com o programa de concessões, estradas, portos, aeroportos, ferrovias, hidrovias, do interesse do capital privado no portfólio brasileiro, e prometeu novos leilões apesar da pandemia.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos