A Operação Luz da Infância 7, deflagrada nesta sexta-feira (6), tem como objetivo identificar autores de crimes de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes praticados na internet no Brasil e em outros quatro países: Argentina, Panamá, Paraguai e EUA — nesse último, nas cidades de Knoxville, Nashville, Dallas, Raleigh e Pittsburgh. Em território nacional, a ação mira 10 estados: Alagoas, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública e as polícias civis são responsáveis pela operação, que cumpre 137 mandados de busca e apreensão em dez estados. Pelo menos 27 pessoas já foram presas — sendo dez em São Paulo, oito em Santa Catarina, três no Paraná, três no Pará, um no Rio de Janeiro, um no Rio Grande do Sul e um no Alagoas. No Brasil, a pena para quem armazena conteúdo de pedofilia varia de um a quatro anos. O compartilhamento desses materiais pode resultar em três a seis anos de prisão e, no caso de produção de conteúdo relacionado a crimes de exploração sexual, a pena varia de quatro a oito anos.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga