Entre março e julho, passou de 11% para 31% o número de brasileiros fazem compras domésticas online. Pesquisa mostrou, ainda, que um em cada quatro brasileiros diz ter cortado gastos desnecessários. Número de brasileiros que compram pela internet cresceu durante a pandemia
Uma pesquisa divulgada nesta terça-feira (20) pela Serasa Experian mostrou que, diante da pandemia, quase triplicou o número de brasileiros que usam a internet para comprar produtos domésticos.
Segundo o levantamento, em março, quando tiveram início as medidas de distanciamento social para conter a disseminação do novo coronavírus no Brasil, 11% dos consumidores faziam compras online de itens domésticos, excluindo produtos alimentícios. Em julho, essa proporção saltou para 31%.
A compra de alimentos pela internet também aumentou no período. Segundo a Serasa, passou de 60% para 71% a proporção de consumidores comprando online alimentos para consumo em casa, seja produtos in natura ou refeições prontas.
“O cuidado com a saúde trouxe à população uma mudança de hábito que privilegia as compras e interações no ambiente virtual e essa tendência deve continuar após o isolamento social”, avaliou a diretora de Decision Analytics da Serasa Experian, Beatriz Raulino.
Segundo a Serasa, a expectativa é que as compras online aumentem 53% em até seis meses. A mesma pesquisa mostrou que 71% dos brasileiros afirmaram ter expectativa alta na entrega de uma experiência digital online.
“A mudança de comportamento trouxe maior conscientização para consumidores e empresários sobre o ambiente virtual. As pessoas estão mais atentas aos cuidados que devem ter ao realizarem compras ou transações nesse ambiente. As empresas perceberam que precisam de processos seguros e um atendimento eficiente para garantirem o retorno do cliente”, apontou Beatriz.
O levantamento mostrou, também, que os consumidores brasileiros apontaram maior confiança em fornecedores serviços de streaming (60%), seguido de fornecedores de tecnologia (56%) e sistemas de pagamento (55%).
Brasil lidera comércio eletrônico de produtos domésticos
A Serasa ouviu 3 mil pessoas em dez países para realizar o estudo sobre as mudanças nos hábitos de consumo diante da pandemia. Segundo a empresa, o Brasil lidera o maior crescimento de compras online de produtos domésticos.
Enquanto no Brasil o crescimento foi de 20 pontos percentuais (p.p.) entre março e julho, nos Estados Unidos foi de apenas 9 p.p., o segundo maior crescimento observado. Nos países da Ásia e Pacífico (Apac) e no Reino Unido, a alta foi de 5 p.p., enquanto nos países da Europa, Oriente Médio e África (Emea), de 4 p.p.
Os brasileiros se mostraram ainda mais adeptos às compras online de alimentos que os consumidores dos demais países pesquisados. Enquanto no Brasil 71% usam a internet para comprar comida em julho, nos Estados Unidos esse percentual era de 58%, no Reino Unido e Apac, 53%, e no Emea apenas 33%.
Economia na pandemia
A Serasa Experian enfatizou que a pesquisa apontou para uma mudança na relação dos consumidores brasileiros com o dinheiro. Um em cada quatro disse ter cortado gastos supérfluos.
Entre os entrevistados no país, 24% afirmaram que estão reduzindo gastos desnecessários e 21% estão economizando mais em fundos de emergência.
“Os momentos difíceis também podem ser boas oportunidades para reavaliar os hábitos de consumo. A educação financeira é muito importante para ajudar o consumidor a lidar com os seus recursos, principalmente em momentos adversos”, enfatizou a diretora da da Serasa Experian.
Assista às últimas notícias de Economia: