Com pelo menos seis regiões do Distrito Federal ainda contabilizando crescimento na taxa de contaminação pelo coronavírus, o governo local está desmobilizando leitos de unidades de terapia intensiva (UTI). Ao mesmo tempo, o hospital de campanha montado no estádio Mané Garrincha, em Brasília, que tinha 197 leitos e recuperou, em cinco meses, mais de 1.700 pacientes, também já foi fechado. A justificativa das autoridades locais é que o Distrito Federal aparece com taxas de transmissão da Covid-19 em queda, o que leva a avaliação de que a pandemia estaria regredindo na capital do país.

Entretanto, esse possível ritmo de queda ainda é lento. O Distrito Federal tem se mantido, nas últimas semanas, em décimo lugar no país em número de casos da Covid-19. Mesmo assim, os quase 800 leitos de UTI inicialmente bloqueados para pacientes com a doença começam a ser destinado para atender internações de pacientes com outros problemas de saúde. Atualmente, a taxa de ocupação dos leitos está abaixo dos 70%, o que baseia a decisão das autoridades locais. Ao todo, segundo dados oficiais, quase seis mil pacientes continuam infectados pelo coronavírus no DF, sendo que a faixa etária com maior número de casos é de 30 a 39 anos.

*Com informações da repórter  Luciana Verdolin