Peritos da Polícia de Investigações do Chile visitaram nesta segunda-feira, 19, as instalações da Paróquia de Assunção, em Santiago, incendiada durante protestos de aniversário de um ano das manifestações por igualdade social no país. Segundo o jornal La Nación, os investigadores já sabem que o local foi alvo de coquetéis molotov e bombas, mas buscam os responsáveis pelo ocorrido. Por causa do ataque, a torre da igreja construída em 1876 caiu.

“Estamos levantando as evidências no local e analisando imagens que todos viram ontem”, afirmou o comissário local, Juan Pardo em coletiva. Ele constatou, ainda, que a estrutura da igreja foi diretamente afetada pelo incêndio de grandes proporções. Essa não é a primeira vez que o templo é alvo de extremistas no país: durante os protestos de 2019, o local foi saqueado e teve quadros e esculturas levados.

Questionamento sobre o Vaticano

Nas redes sociais, o assunto “Vaticano” se tornou um dos tópicos mais comentados no Brasil após internautas questionarem a falta de posicionamento do Papa Francisco sobre o caso. Muitos relativizaram o incêndio da igreja com os incêndios na Amazônia, que geraram comentários de Francisco, e acusaram o pontífice de “esquerdista”.