Seis detentos que cumpriam pena em regime semiaberto fugiram na tarde desta sexta-feira, 16, da penitenciária José Parada Neto, em Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo. Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária, os presos pularam o alambrado que cercava o local por volta das 14h. Três deles foram capturados por agentes da própria penitenciária e outro pela Polícia Militar, que foi acionada para auxiliar nas operações de busca. Dois continuam foragidos.

“O que está causando tudo isso é uma coisa: falta de policial penal. Não está tendo reposição de funcionários, o preso olha, ele observa”, afirmou o presidente do Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de São Paulo (Sifuspesp), Fábio Jabá. Ele afirmou que a aposentadoria de agentes penitenciários e até mesmo a morte de alguns deles em decorrência novo coronavírus aumentaram a defasagem dos funcionários públicos. Segundo o Sifuspesp, mais de 30 funcionários morreram por Covid-19 desde o começo da pandemia.

A fuga ocorre um dia após uma tentativa de fuga frustrada na Penitenciária de Junqueirópolis, nas proximidades da divisa com o Mato Grosso do Sul. Na ocasião, um reeducando solicitou atendimento de saúde, levantou de uma cadeira de rodas e agrediu servidores que o acompanhavam. Outros dois se amotinaram, mas não conseguiram fugir. Nos dois casos, um Procedimento Apuratório Preliminar e Disciplinar foi aberto para que fatos fossem averiguados. “Ressalvamos que as alas de regime semiaberto não dispõem de vigilância armada nem de altas muralhas. A permanência dos presos nesse regime se dá mais pelo senso de auto responsabilidade do que por mecanismos de contenção”, afirmou nota do SAP.