Na terça-feira passada (6), o departamento de Proteção à Mulher e Proibição do Casamento Infantil da Índia recebeu a denúncia de que uma mulher do estado de Haryana era mantida trancada pelo seu próprio marido. As autoridades se mobilizaram para investigar o caso e descobriram que a indiana, de 39 anos, permanecia confinada em um banheiro há anos. Os filhos do casal teriam colaborado com essa situação, sob a alegação de que a mulher sofria de uma doença mental.

Quando os oficiais chegaram à residência da vítima, ela foi encontrada em um banheiro no primeiro andar da casa em “estado lamentável”, conforme reportou o funcionário Rajni Gupta. Ainda segundo ele, a mulher estava visivelmente desnutrida e seu corpo e roupas estavam sujos de excrementos. O vice-presidente da polícia local, Satish Kumar, afirmou por sua vez que o marido já foi preso. Para ele, a indiana não parece apresentar nenhum quadro de instabilidade mental, mas as autoridades ainda aguardam o resultado de um exame médico. Enquanto isso, a vítima está sendo cuidada por parentes diretos.

Segundo a organização Human Rights Watch (HRW), não é incomum que isso aconteça em países subdesenvolvidos com pessoas que sofrem de algum tipo de distúrbio. Neste mês, a organização publicou um relatório no qual denuncia que “centenas de milhares de pessoas com problemas de saúde mental estão acorrentadas em cerca de 60 países ao redor do mundo”. Uma das autoras da publicação, Kriti Sharma, afirmou: “as pessoas podem passar anos acorrentadas a árvores, trancadas em jaulas ou celeiros porque as famílias têm dificuldades para lidar com o problema e os governos não fornecem serviços de saúde mental adequados”.

*Com informações da EFE