Em meio à disputa pela presidência da Comissão Mista de Orçamento (CMO), um dos colegiados mais importantes do Legislativo, o PSL, partido pelo qual o presidente Jair Bolsonaro foi eleito em 2018, irá apoiar o deputado federal Elmar Nascimento (DEM-BA) para o cargo. A informação foi confirmada à Jovem Pan por um integrante da cúpula do partido. A escolha do presidente da CMO é vista pelos parlamentares como uma prévia da eleição que definirá o sucessor de Rodrigo Maia (DEM-RJ) no comando da Câmara dos Deputados. A decisão do PSL será formalizada em uma reunião da bancada do partido, marcada para a manhã desta quarta-feira, 14.

A decisão do PSL é mais um movimento que mina as pretensões políticas do deputado federal Arthur Lira (PP-AL), que disputa o comando da CMO com o grupo ligado a Maia. Enquanto o parlamentar do PP tenta emplacar o nome da deputada Flávia Arruda (PL-DF), aliados do presidente da Câmara defendem o nome de Elmar Nascimento, para fazer valer um acordo formado em abril deste ano entre as lideranças da Casa. Em julho deste ano, DEM e MDB deixaram o chamado “blocão”, grupo comandado por Lira e formado pelos partidos PP, PL, PSD, Solidariedade e Avante.

Também nesta terça-feira, PROS e PTB anunciaram a saída do “blocão”. As duas legendas passarão a integrar um bloco independente ao lado do PSL. Ao todos, os três partidos somam 61 parlamentares. Com isso, forma-se o segundo maior bloco da Câmara dos Deputados, atrás apenas do grupo liderado por Lira, composto, hoje, por 135 deputados.

A falta de consenso entre os caciques da Câmara é o principal empecilho para o início dos trabalhos da CMO. Na terça-feira 6, o presidente do Congresso, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), cancelou pela segunda vez consecutiva a instalação da comissão. “A ânsia pela cadeira do presidente Rodrigo Maia não pode impedir a instalação de uma comissão desta natureza”, disse à Jovem Pan um deputado do Centrão.