O setor do turismo, que inclui mais de 10 segmentos em Salvador – entre bares, restaurantes, meios de hospedagem e agências de viagem – vai ganhar um investimento de mais de 20 milhões da Prefeitura para auxiliar na retomada econômica após a pandemia do novo coronavírus. Sob coordenação da Secretaria de Cultura e Turismo (Secult), através do secretário Pablo Barrozo, o prefeito ACM Neto (DEM) anunciou, nesta terça-feira (4), o plano para a recuperação do setor, que tem mais de sete medidas. A principal delas foi a inauguração do Centro de Recuperação do Turismo (CRT), que funcionará no Hub Salvador, no Comércio, já a partir desta quarta-feira, 05. 

Dentre as outras iniciativas, está o lançamento do Selo Verificado da Secult para os estabelecimentos que cumprirem os protocolos sanitários, a capacitação de mais de 7 mil profissionais, a criação de um marketplace para agências de turismo – onde roteiros turísticos e outros serviços serão comercializados – além da criação de uma Agência de Fomento para Negócios no Turismo para ajudar os empreendimentos na transformação para o meio digital e na captação de patrocínios, sem falar na própria inauguração do CRT. As ações integram o quarto pilar do plano de recuperação da economia da cidade, que tem um total de 101 ações e investimento de R$7 bilhões. 

Selo Sanitário Verificado
De caráter não obrigatório, o selo sanitário poderá ser solicitado à Secult por bares, restaurantes, meios de hospedagem, e outros estabelecimentos ligados ao setor turístico. O selo municipal se soma ao selo internacional Safe Travels, do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC), ao qual Salvador foi o primeiro destino do Brasil a aderir, em 29 de junho. Ambos podem ser adquiridos gratuitamente, se seguidos os requisitos sanitários, que serão publicados com mais detalhes ainda nesta semana. Ele será válido por um ano, e será fiscalizado pela equipe de vigilância sanitária da Sedur (Secretaria de Desenvolvimento e Urbanismo). A expectativa do prefeito é que 600 estabelecimentos recebam a qualificação.

O objetivo, segundo o prefeito de Salvador Acm Neto (DEM), é que as duas certificações atuem em conjunto e passem mais segurança ao consumidor, além de atrair o turista do exterior. “A ideia é que os dois tenham ação conjunta: o selo da prefeitura, que tá validando, à luz da equipe técnica do município, o cumprimento dos protocolos, e, um outro selo, que além do apelo para o consumidor local, também vai ter o apelo internacional. Esse vai ser o diferencial”, explicou Neto. 

A data para que as empresas possam solicitar o selo sanitário à prefeitura depende do dia que a segunda fase for iniciada. “Estamos ajustando para o momento que eles puderem voltar a funcionar, respeitando o faseamento do plano de retomada da prefeitura e do governo do estado. Vamos fazer esse trabalho com muito cuidado e cautela, porque não adianta só ter o selo, tem que ter um selo que passe credibilidade, responsabilidade com a vida das pessoas”, disse o secretário. Barroso também reforçou que as certificações só trarão benefícios:

“Ganhará a pessoa que irá frequentar, que terá segurança, e o estabelecimento que vai receber seu cliente. Eles vão receber mais clientes, porque estes vão saber que aquele lugar está cuidando das pessoas porque têm selos responsáveis”, afirmou o secretário 

Centro de Recuperação do Turismo, no Hub Salvador, foi uma das ações (Foto: Valter Pontes/Secom)

Centro de Recuperação do Turismo
O Centro de Recuperação do Turismo, inaugurado nesta terça-feira, 04, oferecerá serviços de consultoria técnica e financeira para as empresas fazerem capacitações de suas equipes. São 50 cursos on-line – entre marketing digital e empreendedorismo – oferecidos pela Sebrae e Senac, parceiras da prefeitura no projeto, além de livros digitais e atendimento das secretarias municipais de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) e da Fazenda (Sefaz). O Centro conta com quatro cabines de coworking e um auditório com computadores com capacidade para 10 pessoas. O objetivo, segundo o secretário Pablo Barrozo, que idealizou o projeto, é preparar os agentes de turismo para a nova realidade. 

“O Centro vai cuidar não só da parte financeira, mas de infraestrutura e inovação dos negócios que trabalham com turismo”, diz o secretário Barrozo. O equipamento é o primeiro do tipo no Brasil e vai funcionar de de segunda a sexta-feira, de 9h às 16h. Já os espaços de coworking em turnos de 5 horas, de 8h às 13h ou de 13h às 18h. Para acessar os serviços, as empresas devem agendar o atendimento no CRT através do site retomadadoturismo.salvador.ba.gov.br, pelo e-mail [email protected] ou através do telefone 3202-7634.

Capacita Salvador
A capacitação dos profissionais de turismo, principalmente dos trabalhadores informais, é também uma das principais preocupações da Prefeitura. Por isso, foram investidos 11 milhões de reais para qualificar 7 mil profissionais, com recursos do BID (Banco de Desenvolvimento Internacional), através do Prodetur (Programas Regionais de Desenvolvimento do Turismo).

“Quando a gente fala em capacitar, não é apenas qualificar a mão de obra aos padrões tradicionais. É também qualificar as pessoas para os novos desafios dessa nova realidade. Afinal, até que tenhamos a vacina e a segurança da imunidade de todos, vamos repensar a maneira de vender Salvador”, explicou o prefeito. 

A capacitação começa em setembro, com 2.200 trabalhadores informais nas competências dos principais segmentos do turismo, além da formação de 150 instrutores, que servirão de multiplicadores para capacitar 5 mil funcionários de 120 empresas diferentes, que participam do programa. “A capacitação vai ter um efeito multiplicador, porque vai desde a mão de obra mais simples, que é o informal, até as empresas, numa ação que vai se capilarizando”, avaliou Neto.

Marketplace 
Com a criação do marketplace, que nada mais é do que uma plataforma digital acessada pelo site salvadordabahia.com, a visibilidade do destino Salvador será muito maior, prevê a presidente do Sindicato de Guias de Turismo da Bahia, Rivanete Rodrigues.

“Os guias de turismo vão poder desfrutar desse espaço, vamos receber suporte de toda a cadeia que está aqui, da Sebrae e Senac, e, com isso, a gente vai ter uma visibilidade maior. É de grande importância nesse momento de pós pandemia, porque o guia está parado”, avaliou a presidente.

Em Salvador, são 400 guias de turismo cadastrados no sindicato. Na Bahia, o número chega a 1.200. 

Rivanete Rodrigues também revelou que o sindicato prepara um roteiro promocional para os soteropolitanos e baianos que quiserem explorar Salvador na retomada. Além disso, está incluso no pacote um “walking tour” gratuito para quem quiser conhecer os principais pontos culturais e históricos da cidade. Os guias vão ficar disponíveis no marketplace pela plataforma “Go on” e estão sob treinamento. Trinta deles vão iniciar os trabalhos em setembro, quando a plataforma será integrada ao site. 

*Com a orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro