O atacante inglês Troy Deeney, do Watford, revelou nesta quinta-feira (28) que recebeu mensagens de ódio dirigidas ao filho, de apenas cinco meses, após decidir não voltar aos treinos por causa do medo de contrair o novo coronavírus.

Dias atrás, o jogador afirmou que não estaria nas sessões, justamente devido a preocupação com a criança, que tem quadro de problemas respiratórios.

“Eu vi alguns comentários a respeito do meu filho, em que pessoas diziam: ‘espero que tenha coronavírus’. Essa é a parte mais dura para mim. E se você responder, verão que você está irritado e seguirão fazendo”, disse Deeney, em entrevista à “CNN”.

Nos últimos dias, o atacante do Watford conversou com o vice-diretor médico do governo do Reino Unido, Jonathan Van-Tam, e se dispôs a voltar a treinar, quando recomeçarão as sessões com contatos físicos liberados.

“Foi muito bom, pesquisei muito, ele teve boa vontade para dizer que irão cuidar de nós da melhor maneira possível e que, no fim, sempre vai haver algum tipo de risco na volta ao trabalho”, explicou o jogador.

*Com EFE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui