Com 79,01%, Estado registra o segundo pior desempenho, atrás apenas do Rio de Janeiro, de acordo com os dados divulgados ontem pelo Ministério da Saúde.

Balanço divulgado pelo Ministério da Saúde aponta que o Pará ainda está longe de atingir a meta de vacinar contra o sarampo 95% das crianças de seis meses a 1 ano. Até ontem, a cobertura vacinal do Estado era de 79,01%, a segunda pior do País, atrás, somente, do Rio de Janeiro (69,24%). Em relação aos municípios paraenses, 66,67% (96) precisam reforçar os esforços para atender a meta de vacinação. Dentre eles, apenas dez (6,94%) estão próximos de atingir a meta, uma vez que o índice de cobertura está entre 90% e 95%. A partir de 18 de novembro, a segunda etapa da campanha se inicia. Um novo grupo, composto por adultos de 20 a 29 anos que não estão com a caderneta de vacinação em dia, terão a oportunidade de se vacinarem até 30 de novembro, quando termina a campanha.

Outras onze unidades da Federação precisam buscar a meta para evitar a doença. São os casos do Acre (81,98%), Bahia (82,27%), Maranhão (82,45%), Roraima (82,89%), Amapá (83,14%), Piauí (88,19%), Amazonas (91,68%), Rio Grande do Norte (89,55%), Distrito Federal (90,81%), Rondônia (93,34%) e Mato Grosso (94,09%). Já os 14 estados que atingiram a meta de vacinação são: Alagoas (108,26%), Minas Gerais (107,59%), Mato Grosso do Sul (107,47%), Pernambuco (106,06%), Espírito Santo (105,27%), Ceará (104,74%), Paraná (104,17%), Santa Catarina (103,43%), Tocantins (101,69%), Sergipe (101,46%), Rio Grande do Sul (100,94%), Goiás (100,18%), São Paulo (95,53%) e Paraíba (95,25%).

Quanto aos municípios, 34,5% (1.923) não atingiram a meta ainda. O Ministério da Saúde fez um levantamento de 6,5 milhões de registros da situação vacinal de crianças para análise. Os dados são de crianças de seis meses a menores de cinco anos. Na lista, consta o quantitativo de doses aplicadas da tríplice viral, que protege contra o sarampo, rubéola e caxumba, de cada registro. O documento servirá para que os gestores locais definam estratégias para realização de busca ativa das crianças com o esquema vacinal incompleto.

O Ministério da Saúde anunciou também que já disponibilizou R$ 103 milhões (metade do bônus de R$ 206 milhões) criado para incentivar os municípios brasileiros a vacinar em massa crianças entre seis meses e cinco anos de idade. O dinheiro foi repassado no dia 18 de outubro para os fundos municipais de saúde, de acordo com o tamanho da população de cada cidade. Destes R$ 206 milhões, o Ministério indica R$ 8.305.359,00 para o Estado do Pará.

O plano feito pelo Ministério da Saúde é premiar os municípios que cumpram metas em relação à vacinação. A outra metade do bônus, outros R$ 103 milhões, portanto, só será liberada para aqueles que alcançarem 95% de cobertura vacinal da primeira dose da tríplice viral em crianças de 12 meses de idade e também informar ao Ministério e a Secretaria Estadual de Saúde do estoque das vacinas de poliomielite, tríplice e pentavalente guardadas nas unidades de saúde.

 

Geisy Arruda (FOTO: Reprodução/Instagram) – Geisy Arruda elevou a temperatura na madrugada desta segunda-feira (21), após compartilhar um clique pra

Ferramenta foi lançada pelo Inep e pode ser acessada por qualquer pessoa Para permitir que qualquer pessoa busque, de maneira

Bandidos monitoram telefones em anúncios para aplicar golpes (Foto:Marcelo Camargo / Agência Brasil) Golpistas usam números divulgados em sites de

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui