Tatau comanda primeira edição do Luau Fasano. Must go!

Uaçaí Lopes, poeta e escritor, volta com um texto cortante que nem lâmina de navalha, em narrativa objetiva, curta e direta, conta a história sem fraseados nem rebusques literários, como convém a um bom conto. Este ‘Por que não matei Zé Bigorna’ está no livro Morte em Lisboa e outros contos, lançado nesta quinta-feira em evento que reuniu dois outros grandes autores: Antonio Brasileiro, com Anjo no Bar, uma antologia poética, e Renato Suttana, com o livro de poemas, Fora de Alcance. Leia, você vai gostar. Carlos Navarro Filho.

Guardei do mestre Florisvaldo Mattos, em um dos seus momentos de desfiar poesia, esses poemas que ele um dia me mandou e os reservei para um momento especial como agora o da Flica, que começou na quinta e termina neste domingo, 27 de outubro. Flori conta ter sido alertado pelo baiano Paulo Martins para o poeta capixaba Gilson Soares, pouco conhecido na Bahia, cujos versos “embora lavrados em elocução claramente de poesia moderna, deixa transparecer ecos da estética simbolista ao conferir à pedra a condição de ente que destila humanidade em doses de sofrimento”. E aproveita para citar o simbolista baiano Pedro Kilkerry (1885-1917), além disso ele próprio nos brinda com um belo soneto. Esta coluna vai para os leitores de sempre e em especial para os poetas baianos, que são tantos e tão ricos. Carlos Navarro Filho

O tenor brasileiro Thiago Arancam retorna a Salvador neste domingo (3) para encerrar sua turnê “Bela Primavera”. A apresentação acontece às 19h, na Concha Acústica do Teatro Castro Alves. O artista contou em entrevista ao Bahia Notícias que está ansioso para se apresentar pela primeira vez no local e revelou como conheceu o espaço. “A primeira vez que eu soube da Concha Acústica, eu estava fazendo a estreia do meu show no Teatro Castro Alves, e tinha Maria Bethânia tocando na Concha. Aí do meu camarim, da janela, eu ouvi aquilo, aquela massa, todo mundo cantando e eu perguntei para minha equipe: ‘o que que é aquilo?’ Me responderam: ‘é a Concha Acústica do TCA’. ‘Quantos lugares?’, eu perguntei, ‘5 mil pessoas’, responderam. Caramba…. Aí isso põe a sementinha aqui na nossa cabeça, e eu fiquei pensando: ‘um dia eu vou para lá, um dia eu vou para lá, um dia eu vou para lá’. Então claro, estou ansioso […] Quando eu comecei eu tinha a lembrança de ouvir Maria Bethânia cantando ali, e agora estarei lá”, destacou o cantor. Desde que retornou ao Brasil, em 2017, Thiago Arancam tem buscado popularizar o canto erudito. Para isso, o paulista decidiu adicionar em seu repertório músicas do pop e rodar pelo país com suas apresentações. Segundo Arancam, o público tem aceitado bem as mudanças e ele tem conseguido alcançar seu objetivo. “Tem tido uma resposta positiva de todas as pontas do Brasil que eu fui. Eu tive o privilégio de rodar inúmeras capitais, sempre com casa cheia, com o público bem receptivo, que canta mesmo que seja em outra língua, todas as faixas etárias. Eu venho ao longo dos anos tentando democratizar a música, num projeto de levar para todas as camadas sociais, tantas vezes em programas populares também, para ir quebrando esse paradigma e esse preconceito em relação a isso. Mas a aceitação está sendo a melhor possível”. Na entrevista, o cantor, que está na versão brasileira do musical “O Fantasma da Ópera”, ainda falou sobre sua participação na gravação da música “A Bahia Canta a Sua Santa”, criada em homenagem a Santa Dulce dos Pobres, e sobre a experiência de estar na celebração da canonização de Irmã Dulce, que aconteceu no dia 20 de outubro, em Salvador.

Arlindo Cruz está internado no Hospital São Jose, no Rio de Janeiro. O cantor deu entrada no local no dia 21 de outubro com problemas respiratórios e foi diagnosticado com pneumonia. De acordo com informações confirmadas pelo filho do artista, Arlindinho, ao site Metrópoles, após passar alguns dias no Centro de Tratamento Intensivo, o sambista já foi transferido para um quarto. 

 

Arlindo Cruz sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) em 2017, e ficou internado por um ano e três meses. O cantor só recebeu alta em julho de 2018 e segue com os tratamentos para recuperar a fala e os movimentos.

As opções de entrada, prato principal e sobremesa do Martim Pescador para o Salvador Restaurant Week que acontece até o próximo dia 10 de novembro estão imperdíveis.

Em 2019, Raffa Rodrigues lança o seu primeiro álbum de estúdio com composições feitas em parceria com seu primo e produtor Betto Almeida. ‘Apaixonante’ é considerado um projeto audacioso, já que em pouco mais de um mês a dupla compôs todas as canções do disco e se preocuparam em harmonizar o registro de modo que todas as canções conversassem entre si. Tudo isso, evidenciando o DNA artístico de Raffa e sem perder o tom comercial e pop da setlist. 

A mosca caiu na sopa e continua incomodando a vaidade de Paulo Coelho. Mais de 30 anos depois que se picou da Terra e mesmo assim com um sucesso crescente, extrapolando fronteiras tupiniquins sem truques de marketing, Raul Seixas não é digerido pelo seu “inimigo cordial”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui