O deputado federal João Daniel (PT/SE), coordenador do Núcleo Agrário da bancada do Partido dos Trabalhadores na Câmara, lamentou o assassinato de mais uma liderança indígena no país. O guerreiro Paulo Paulino Guajajara, Guardião da floresta, foi morto numa emboscada, na última sexta-feira, dia 1, na Terra Indígena Araribóia, no Maranhão. Já havia sido pedido segurança ao governo federal, responsável pelas aldeias e povos indígenas, mas nada foi feito para impedir que isso acontecesse.

“Mais uma liderança indígena assassinada, o mundo inteiro questionando, porque está na imprensa internacional e isso envergonha, mais uma vez, nosso país. O governo Bolsonaro e Sérgio Moro [ministro da Justiça] são responsáveis pelo assassinato de Paulo Paulino Guajajara”, afirmou o deputado.

Na reunião do Núcleo Agrário da Bancada do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados, realizada ontem, o líder Paulino Montejo, da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), esteve presente e relatou a indignação do povo Guajajara e todos que lutam por justiça e pelo meio ambiente no Brasil e no mundo com os ataques que têm ocorrido. “O governo Bolsonaro abandonou os povos indígenas, os quilombolas, os posseiros, sem-terra, as comunidades tradicionais. O governo Bolsonaro apoia os madeireiros, garimpeiros, a pistolagem. Representa o que há de mais atrasado na história deste país”, declarou o parlamentar.

Em seu discurso, João Daniel apelou para que os povos indígenas continuem na luta, a exemplo dos guardiões da floresta como Paulo Paulino Guajajara. “E que o mundo inteiro não aceite que este governo, fora de qualquer sentimento ético, moral e de dignidade, continue matando povos indígenas e abandonando o povo brasileiro”, completou.

Foto assessoria

Por Edjane Oliveira

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui