Policiais prenderam Jos? Roberto no último dia 7 

O defensor público Marcos Freire protocolou, nesta segunda-feira (11), pedido de revogação da prisão preventiva de José Roberto Morais, apontado como suspeito de crimes contra a ex-mulher e a enteada entre os anos de 2009 e 2010, quando ainda morava em Arapiraca. 

Consta envolvimento de José Roberto na prática de estupro de vulnerável, lesão corporal, cárcere privado e tentativa de homicídio.

“Entendo que não estão presentes os requisitos para a prisão preventiva. Vejo alguns pontos que chamam a atenção nesse caso, primeiro em relação ao tempo que se deram os fatos e que somente agora foram investigados; segundo, foram investigados pelos próprios policiais de Maceió que foram denunciados pela prática de tortura e em terceiro como se deu o caso, pediram a prisão e ele sequer foi ouvido sobre os fatos. O mandado foi expedido e com 39 minutos depois que a delegacia recebeu o mandado, a prisão já estava sendo cumprida em Maceió”, afirma o defensor Marcos Freire.

José Roberto é padrasto do menino Danilo Almeida – morto a facadas, em outubro, crime até agora não elucidado pela polícia. À Defensoria Pública, ele e a esposa chegaram a denunciar que delegados teriam praticado tortura psicológica.

A prisão de José Roberto Morais foi decretada pelo juiz Alexandre Machado – do Juizado de Violência Doméstica Contra a Mulher de Arapiraca – e cumprida após diligência no último dia 7, pelos delegados Bruno Emílio, Eduardo Mero, Fábio Costa e Thiago Prado. 

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui