Jornal ADVFN Brasil › Ações › Empresas › Bom dia, Investidor! 14 de novembro de 2019

A Via Varejo divulgou um fato relevante nesta quarta, 13, afirmando que constituiu um comitê de investigação em 10 de outubro para conduzir uma investigação independente e detalhada sobre a denúncia anônima recebida entre final de setembro e início de outubro. Segundo o site Suno Notícias, executivos da Via Varejo teriam contabilizado despesas operacionais como investimentos. Segundo a denúncia, depósitos judiciais não estariam em provisão, com a exclusão de processos jurídicos com o intuito de reduzir despesas. As planilhas utilizadas pelo departamento jurídico também teriam sido manipuladas, de acordo com a denúncia. A Via Varejo informou ainda que o plano de ação da investigação foi dividido em duas fases, com a primeira já concluída e na qual não foram identificadas quaisquer irregularidades.A segunda fase está em andamento, segundo a companhia, e até o momento não encontrou as irregularidades denunciadas.

JBS (JBSS3): A JBS divulgou os resultados do 3T19 nesta quinta, 14.O lucro líquido no trimestre foi de R$356,7 milhões, revertendo o prejuízo do 3T18 de R$ 133,5 milhões.No 3T19, o EBITDA consolidado da JBS foi de R$5.909,2 milhões, com margem EBITDA de 11,3%. Com o ajuste extraordinário de R$12 milhões, o EBITDA ajustado foi de R$5.921,3 milhões, o que representa um aumento de 33,6% em relação ao 3T18, sendo o maior já registrado pela companhia. Segundo a empresa, esse valor inclui o impacto de R$460,1 milhões no trimestre, em função da adoção do IFRS 16 a partir do 1T19. Destaque para as unidades PPC, JBS USA Beef e Seara, que registraram no período crescimento no EBITDA em IFRS de 61,2%, 48,9% e 37,7%, respectivamente. A margem EBITDA aumentou de 9,0% para 11,3%..

fontes: infomoney, finance news.

Agenda esta semana divulgação balanços: 

Não disponível.

Mercados… Bolsas asiáticas encerraram predominantemente no vermelho nesta 5ªF, seguindo a divulgação de uma bateria de dados econômicos fracos na China. Na zona do euro, índices de mercado mantêm a mesma tendência baixista verificada na sessão de ontem, com investidores do bloco avaliando a primeira leitura do PIB do 3T19 no bloco. Nos EUA, índices futuros operam em terreno levemente negativo, ensaiando mais um dia de abertura fraca em NY, e o dólar (DXY) se valoriza contra seus principais pares. Na contramão, commodities apresentam variações positivas de forma generalizada. O preço do petróleo (Brent crude) avança (+1,2%), e volta a ser negociado acima dos US$ 63,00/barril. (por: Guide Investimentos) 

Negociações travadas…  Diante da manutenção da incerteza em torno de pontos de tensão geopolítica ao redor do mundo, bolsas internacionais iniciam mais um dia com tendência de baixa. Ontem, a notícia de que a China está relutante em definir um valor numérico para a compra de produtos agrícolas americanos contribuiu com a preocupação em torno de um novo impasse nas negociações. Em primeiro momento, Trump havia estabelecido que a China deveria comprar o equivalente a US$ 50 bilhões em 2020, mas Pequim parece ter rejeitado a proposta, alegando que quer ter autonomia para reduzir as importações caso as tensões sigam escalando. No pano de fundo, as situações políticas delicadas em Hong Kong, Bolívia, Chile e Peru exercem pressão adicional sobre mercados emergentes.. (por: Guide Investimentos) 

Na agenda… Em dia de agenda cheia, os dados do PIB do 3T19 no Japão (+0,2%), na Europa (+0,2%) e na Alemanha (+0,2%) voltaram a reforçar o receio em torno da estagnação do crescimento nas economias desenvolvidas. Ainda hoje, investidores avaliam o índice de inflação ao produtor (PPI, na sigla em inglês) de outubro nos EUA, às 10h30, além dos estoques de petróleo bruto do Departamento de Energia americano, às 13h. (por: Guide Investimentos). 

■ Brasil

Prévia do PIB… ​O IBC-Br, considerado uma prévia do PIB, registrou alta de 0,44% em setembro em comparação com agosto, conforme dados divulgados hoje pelo Banco Central.

Dólar… Analistas e investidores continuam de olho no dólar. Nesta quarta, 13, a moeda teve a segunda maior cotação nominal de fechamento da história em meio ao aumento da aversão ao risco.A moeda subiu 0,42%, vendida a R$ 4,1856. Na máxima do dia, chegou a R$ 4,1896. A maior cotação de fechamento da história foi registrada em 13 de setembro do ano passado (R$ 4,1952). Ibovespa cai 0,65%, aos 106.059 pontos encerrado em 13/11.

Brasil e China… Ontem (13), pela manhã, Bolsonaro se reuniu com o presidente da China Xi Jinping. Bolsonaro declarou que busca diversificar as relações comerciais com a segunda maior economia do mundo. Paulo Guedes, o ministro da Economia, abordou a possibilidade de um novo tratado comercial com a China. Segundo o ministro, o Brasil tenta desfazer em 4 anos uma política de isolamento que perdura há mais de 4 décadas.(por: Guide Investimentos). 

Brasil e Índia… Durante a tarde, Bolsonaro se reuniu com o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi. Uma viagem do presidente ao país asiático foi marcada para o dia 26 de janeiro, feriado do Dia da República na Índia. O governo brasileiro busca fomentar mais cooperação entre os dois países nas áreas de biocombustíveis, ciência e tecnologia; enquanto a Índia se interessa pela agropecuária brasileira.(por: Guide Investimentos). 

■ Commodities  

Minério de ferro: Os contratos futuros mais líquidos do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian, na China, fecharam com alta de +1,73% a 618,50 iuanes.  

Petróleo:  WTI: +0,82% (US$ 57,59), Brent: +0,88% (US$ 62,92)

Ouro: Os contratos de referência do Ouro, com vencimento em dezembro:  a US$ 1.469,45, alta de  +0,42%.

 

 

 

XHTML: You can use these tags:

Formulário enviado com sucesso!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui